Primeira foto real de um Buraco Negro é divulgada!

Hoje, a NFS (National Science Foundation) publicou a primeira foto real de um Buraco Negro, entrando para a história da astronomia e astrofísica a emocionando muitos envolvidos ou intusiastas das áreas de ciências.

A foto já estava sendo esperada há muitos meses, pois quando se trata de astrofotografia, é necessária muita paciência e longa exposição para captar luz suficiente para formar a imagem do corpo celeste em questão. Nesse caso, foi utilizada uma rede de telescópios (super potentes, não como o que alguém tem no quarto) espalhados pelo mundo (EHT – Event Horizon Telescope), criando assim um super telescópio ao juntar e processar as imagens obtidas por todos eles.

O Buraco Negro está localizado no coração da Galáxia Messier 87 (M87), há 55 milhões de anos-luz na Terra. Ele tem cerca de 6,5 bilhões de vezes massa do Sol, e 3 milhões de vezes o tamanho da Terra.

O nome Event Horizon Telescope (EHT) é, em tradução livre, Telescópio de Horizonte de Eventos. Isso porque ele é utilizado para observar o horizonte de eventos de um Buraco Negro (a parte escura).

Buracos Negros

Ao contrário do que muitos pensam e dizem, buracos negros não são buracos que sugam as coisas como se estivessem com uma enorme fome. Trata-se de uma estrela que, após morrer explodindo numa supernova, é contraída gravitacionalmente se comprimindo bastante. Comprimindo o enorme tamanho e massa de uma estrela super gigante em um espaço bem comprimido, a gravidade dela torna-se tão massiva que nem a luz possui velocidade suficiente para escapar da aceleração gravitacional do corpo celeste.

A observação nos faz perceber corpos celestes, como estrelas e outros, orbitarem um espaço aparentemente vazio no céu. Com ajuda de telescópios com detecção de radiação X, pode-se ver a radiação liberada pelo buraco negro. E a aparência escura da estrela morta, o horizonte de eventos – pelo fato da luz não escapar da sua gravidade e chegar até nós), faz com que tenha a aparência de um buraco em qualquer direção que é observado.

Como sua gravidade acelera os corpos atraídos numa velocidade maior do que a da luz, a relatividade tenta explicar o que acontece quando você é atraído para além do horizonte de eventos. O que sabemos é que, muito provavelmente, nada mais deve fazer sentido, pois essa força gravitacional seria capaz de distorcer bastante o espaço e o tempo.

Compartilhar:

G.A. Oliver

O nerd mais sexy da internet! Blogueiro, músico, estudante de Física "Trabalho na OBA! (Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica) como planetarista". Instagram e Twitter: eugaoliver

Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.