Brooklyn Nine Nine 6×07 – The Honeypot [Line de Séries]

O sétimo episódio da sexta temporada de Brooklyn 99 ou, como eu gosto de chamar, o penúltimo episódio antes de Lin Manuel Miranda aparecer. Se eu estou animada para esse encontro épico? I-M-A-G-I-N-A

Depois daquela emoção toda da saída da Gina, voltamos á programação normal. Sei que tivemos um episódio já depois disso, mas o último teve basicamente 2 dos personagens só o episódio inteiro e isso não me agrada, então fico mais feliz com esses que tem histórias com todo mundo. Basicamente porque não consigo escolher qual personagem dessa série é meu favorito, eu amo todos eles demais.

O plot gira em torno de duas histórias principais: Capitão Holt tentando encontrar um novo assistente com Jake o ajudando, porém fazendo disso uma operação dessas de filme e Amy e os detetives tentando organizar o ambiente de trabalho.

Primeiramente, Jake se encarrega de encontrar um assistente para Holt e contrata um que é Raymond Holt em outro corpo. Porém ele coloca na cabeça que Gordon é um espião do inimigo do capitão, o próprio John Kelly. Depois de bisbilhotarem nas coisas do homem e não encontrarem nada, o próprio Gordon chega neles e admite que foi enviado para espionar mas que não iria mais, pois tinha se apaixonado pelo Holt. Eles então decidem contra investigar o Kelly apenas para descobrirem que Gordon armou para eles e John queria usar essa armação pra incriminar Holt. Só que, no clima dos filmes de ação, Holt já tinha pensado nisso e armou para os dois serem pegos nessa. Ponto para os desfechos dos filmes de Thomas Cruise (sim, ele chama o Tom desse jeito. Esse é ao menos o nome dele de verdade?).

Em outro plano de enredo, Amy usa de seus métodos organizacionais para tentar que seus colegas se livrem de suas coisas, mas quando fazer eles enxergarem o que eles não gostam não funciona, ela vai para o método mais duro: cada um vai escolher um pra deixar e o resto vai ser incinerado. O impasse está em um par de suspensórios que Terry comprou e ele não quer se livrar de jeito nenhum. Ela parece convencê-lo e eles vão pra destruição, literalmente, com uma cena hilária com Rosa atirando uma flecha com fogo nos sacos de lixos e eles murmurando em conjunto como se fosse um ritual. O momento fofo do episódio fica a cargo de Terry e Amy que, quando descobre que ele mantinha aqueles suspensórios pois queria usá-los quando virasse tenente, ela dá materiais de estudo pra ele e compra suspensórios novos.

O laço entre o Jake e o Holt é incrível e é engraçadíssimo ver o contraste entre os dois, o piadista demais e o sério demais. E é ótimo ver o Holt se rendendo ás ideias do Jake, como ele sempre acaba fazendo, nesse caso, abraçando os plots de filmes de ação.  E a cumplicidade a questão romântica entre ele e Gordon também foi um dos pontos engraçadíssimos do episódio, pois nunca mostraram o capitão abertamente sentindo atração por alguém, nem mesmo com Kevin ele é tão atirado em cena; e a cumplicidade  entre Amy e Terry = 100% positivo para dar a carga de emoção que todo episódio precisa.

Nota final: 4,1/5

Até a próxima semana, 99 squad!

Compartilhar:

Lais Alves

19 anos, se esforçando pra sobreviver em uma dessas cidades tumultuadas de São Paulo e tentando ser poliglota. Quer muito ser cinéfila, mas o interesse nos blockbusters acaba atrapalhando. Suas heroínas favoritas são, secretamente (ou nem tanto) a Feiticeira Escarlate e a Mulher Gavião e chora quando vê algum famoso na frente.

Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.